Clube dos Diários – Teresina

O Clube dos Diários é uma bela construção eclética de 1922, originalmente destinada a ser um clube social e que hoje abriga um dos mais importantes centros culturais da cidade, localizado no cruzamento das ruas Álvaro Mendes e 13 de Maio.

Google imagens

Google imagens

Sua fachada é simétrica, com amplas janelas pareadas e colunas coríntias no hall de entrada Sua cobertura é feita com telhas francesas do tipo chalet, sendo o madeiramento trabalhado. O teto do antigo salão de baile, atual salão de exposições, também é de madeira trabalhada, com um belo lustre de cristal em sua porção central.

Som da arquitetura

Som da arquitetura

O Clube dos Diários foi clube de elite de Teresina, e palco de inúmeros acontecimentos sociais, políticos e culturais, tendo como primeiro presidente o professor Agripino Oliveira. Sua origem remonta bem antes da construção da sua sede própria, quando funcionava de maneira provisória na residência conhecida como Campina Modesta. Em 1925, o então governador Matias Olímpio doou o terreno de propriedade do Estado, adjacente ao Theatro 4 de Setembro, para a construção da sede definitiva, que teve início no mesmo ano, e foi executada pelo mestre de obras paraense B. Coelho.

Som da arquitetura

Som da arquitetura

Após anos de abandono, no ano de 1996 a edificação foi restaurada e hoje abriga um espaço cultural, com áreas para exposições, oficinas, cinema de arte e a parte externa para apresentações de bandas tendo como destaque o Projeto Boca da Noite realizado ás quarta-feira com apresentações de bandas locais.

Teresina paranorâmica

Teresina panorâmica

FONTES: Teresina Panorâmica; Teresina me Fascina

Anúncios

Casa de Odilon Nunes – Amarante

Casa de Odilon Nunes localizado em frente à Praça da Bandeira levam o visitante aos mais diferentes períodos históricos da sociedade piauiense. Fundado em 1941, o casarão era a antiga residência do Comendador Manoel Jacob Almendra, e também já foi sede do Governo Estadual. Em 1980, foi restaurado e tornou-se cenário para a cultura. Desde então, o Museu vem  ampliando seu acervo e mantendo o compromisso com a preservação do patrimônio histórico e cultural piauiense. Imóvel construído na última década do século XIX, pelo Capitão da Guarda Nacional Gil José Nunes, pai do historiador Odilon Nunes, que nasceu nessa casa em 1889.

Fundac

Fundac

Atualmente, depois de restaurada, a edificação abriga o Centro Cultural de Amarante, com museu, biblioteca e espaço para cursos e exposições.

Curiosidades

Em 1930, Odilon Nunes fundou no local o Ginásio Amarantino, que funcionou também em regime de internato.

Fundac

Fundac

Com um acervo com mais de 7 mil peças que contam a história de Teresina, a primeira capital planejada do Brasil, o Museu do Piauí Casa de Odilon Nunes é parada obrigatória para quem visita a cidade.

Atualmente, depois de restaurada, a edificação abriga o Centro Cultural de Amarante, com museu, biblioteca e espaço para cursos e exposições.

Ganha destaque no local, a enorme tela de Dom Pedro II, pintada pelo artista plástico catarinense Victor Meirelles de Lima, em 1875, que era bastante próximo da família imperial, e constantemente realizava retratos de seus integrantes.

Conhecendo Museus

Conhecendo Museus

FONTES: Fundac; Conhecendo Museus